Variação de angulação do exercício e resposta no desenvolvimento muscular

Ter medo de fazer uma mudança drástica nos exercícios pode ser a escolha errada, mas antes de sair trocando o supino reto por flexão de cabeça para baixo, voce deve entender os princípios básicos que devem ser levados em conta na hora de trocar os exercícios.
Quantas vezes chegou a hora de mudar o treino e ficou perdido na escolha dos exercícios, gostaria de das um UP em um grupo muscular e não tem a mínima ideia do que fazer?
O que normalmente acontece é trocar todos os exercícios de forma abrupta, antes de fazer isso, por que não mudar simplesmente a angulação dos exercícios? Isso mesmo o simples fato de trocar um supino reto por um supino inclinado já tem como base o aumento da ativação porção superior do peitoral, que tem sua inserção na porção clavicular da cintura escapular, mudando o foco de ativação que antes se encontrava na porção external da caixa torácica.
Agora vamos perceber a real influência da variação de angulações dos exercícios, tomando como exemplo o peitoral maior novamente, lembra que sua origem é na parte proximal do úmero e sua inserção esta dividida na parte superior clavicular, parte medial external, e inferior nas costelas, ou seja ele tem um ponto de origem mas se insere em 3 pontos diferentes,  para ter uma maior ativação de cada feixe deve-se variar as angulações, por esse motivo se treina normalmente o supino inclinado, reto, e declinado, assim todas suas porções são ativadas de forma igualitária.
A variação de angulação não se restringe a somente músculos multipenados, um erro comum é treinar o bíceps sempre de baixo para cima ou tríceps de cima para baixo em polias, a variação de angulação para esses músculos também é essencial, lembre-se de usar as variáveis de insuficiência ativa e insuficiência passiva de cada musculo a seu favor, o bíceps tem sua função na flexão de cotovelo e flexão do ombro, então quando se encontra com o ombro flexionado a 90º graus o bíceps já está em insuficiência ativa em sua porção proximal do ombro, trabalhar com uma flexão de ombro em 90º graus causa maior estres mecânico no musculo devido ao seu encurtamento.
Alterne a angulação de cada exercício assim o recrutamento de unidades motoras será maior e mais variado, levando a um bom desenho muscular, lembre-se seu corpo se adapta muito rápido ao mesmo movimento, então use as mudanças de angulação como estratégia de variação de estimulo, use diferentes pontos de saída na fase concêntrica, saia de 0º, 45º, 90 º diferentes angulações para o mesmo musculo dentro de uma única sessão de treinamento se mostra muito mais efetivo.
.
.
Henrique Pereira
Brasileiro com licenciatura e bacharelado em educação física. Faculdade Porto Das águas.Especialista em fisiologia do exercício, qualidade de vida e reabilitação pós traumática. Unilas latu sensu. 
Especialista em treinamento personalizado. Fitness Academy ( Lisboa – Portugal)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s

Blog at WordPress.com.

Up ↑

%d bloggers like this: